24 de setembro de 2019

Assim de repente... 10 anos

Fez há bocado 10 anos que me puseram esta coisinha nos braços.



Foi então que me tornei oficialmente uma adulta. Esta coisinha dependia totalmente de mim. E tudo o resto foi posto em segundo lugar. 

Com esta coisinha tive de aprender uma data de coisas novas. Aprendi a cuidar dele, a brincar com ele, a chorar com ele, a educá-lo... Todas as primeiras vezes. Tudo novo. E sem manual de instruções.

E de repente, passaram-se 10 anos. E esta coisinha está este rapaz esperto, meigo, tonto, fofo. 






Porra! Como é que se passaram assim dez anos?! Seria de esperar que ao fim deste tempo eu já percebesse alguma coisa disto, mas continuo às apalpadelas. Afinal, eu nunca tinha tido um miúdo de 10 anos antes.

O Xavier tem 10 anos. E eu tenho um enorme orgulho no rapaz que ele é.


13 de setembro de 2019

Ruim

Serei porventura a única mãe a quem hoje não lhe deu um tremelique no canto do olho ao deixar a cria mais nova, criada em casa, no seu primeiro dia da pré-escola?
Devo ser mesmo ruim.
Ou então tenho uma miúda híper-motivada que não pára de falar na "escola dos pequeninos" desde que fez 3 anos, que ia cheia de vontade de conhecer os seus amigos, que estava mortinha por vestir o seu bibe e levar a mochila às costas, que assim que chegou correu para os braços abertos da Ana, que a conhece desde que nasceu, se sentou com os colegas a ver os bonecos e se esqueceu logo de mim.
Não, o coração não se me apertou quando parti com os irmãos para a outra escola, onde o mais velho vai entrar pela primeira vez.
Devo ser mesmo ruim.
Ou então talvez me venham finalmente as lágrimas aos olhos quando, na segunda-feira, deixar todas as minhas crias na escola e voltar sozinha para casa. Mas calculo que não sejam lágrimas de angústia…
Devo ser mesmo muito ruim.

"Tenho xol nos olhos, mãe!"

29 de março de 2019

Momento Zen do Dia #35

A ver um vídeo de brincadeiras com plasticina:
Mãe - Olha, o boneco tem dentes de muitas cores! Mas os nossos dentes só têm uma cor. De que cor são os dentes a sério, Nocas?
Nocas (olhando para mim) - Amarelos.

11 de fevereiro de 2019

"Não me batas no rabo!"

No outro dia, ao deixar a Júlia na escola, despedi-me dela com um beijinho, palavras motivadoras e uma palmadinha no rabo.
Ela virou-se para mim e disse "Não me batas no rabo!"

Na idade dela nunca me passaria pela cabeça dizer uma coisa dessas aos meus pais… ou a qualquer outro adulto, na verdade.
Fico contente que a minha filha de sete anos tenha a capacidade e a confiança necessárias para determinar o que é ou não aceitável em relação a si e ao seu corpo.
"Mas é só uma palmadinha carinhosa!" Sim, é, e sem qualquer má intenção. Mas se eu não a respeitar neste ponto não lhe estou a ensinar o conceito de consentimento. Um conceito que se aprende desde tenra idade (lembram-se do "beijinho aos avós"?) e que a pode proteger de abusos.

Por isso, quando ela reclamou, eu dei-lhe razão e pedi-lhe desculpa.

imagem retirada daqui

Momento Zen do Dia #34

A tentar adormecer a Nocas, para poder tomar finalmente um duche durante a sesta dela:
Mãe: Vá, filhota, a mãe precisa de tomar um banho.
Nocas (traduzido): Cheiras a rabo! (seguido de um riso trocista)

Imagem retirada da net

7 de fevereiro de 2019

Momento Zen do Dia #33

Como a Nocas é a nossa última filha, temos vindo a dar as roupas e outros artigos que ela já não usa. Costumo dizer-lhe que aquelas coisas agora vão para outros bebés.

Ontem, ao dar-lhe mama antes de dormir, comentei com ela que qualquer dia ela ia deixar de mamar, que já estava crescida e o leitinho estava a acabar. Ela acenou com a cabeça e comentou:
- Outos bebés!


Hmmm, não filha, as maminhas ficam comigo, obrigada….


11 de novembro de 2018

Momento Zen do dia #32

No restaurante, depois de lhe ser retirado o prato, a Nocas repara que a mesa ficou suja em alguns pontos.
- Ó senhoia, limpa a mesa, favoi!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...